A história de John North Willys.

1 de julho de 2012

Por Pedro Paulo Galindo Morales

O artigo aborda sobre a história de John North Willys fundador da indústria de automóveis Willys Overland.

John North Willys nasceu em 1873 e foi um pioneiro da indústria automobilística americana, começou a vida consertando bicicletas e logo depois passou a representante de vendas de bicicletas e mais tarde ele assumiu uma franquia Rambler.  Em 1909 John Willys  começa a produzir seus próprios automóveis em Toledo e em 1920 funda Willys Overland Co.    chegando a produzir ja em 1915 150.000 carros, Willys chegou a dizer que ele poderia concorrer e superar Ford com um carro mais potente que o modelo T .
A vida empresarial de Willys foi cheia de altos e baixos, esteve por duas vezes a beira da falência mais conseguiu superar as crises com vendas de fabricas e a contratação de Walter Chrysler para sanear suas finanças que em 1925 se tornaria dono da Chrysler Corporation. Era conhecido por sua honestidade e força de trabalho tanto que chegava a trabalhar de 15 a 16 horas 7 dias por semana. John Willys também fabricou motores de avião, caminhão para o exercito americano e implementos agrícolas o que levou a Willys Overland, em parceria com a Ford, criar o lendário Jeep para atuar na Segunda Guerra Mundial. John Willys faleceu em Nova York onde sofreu um ataque cardíaco fatal em 26 de agosto de 1935.
A partir de 1939 com as finanças da fabrica saneadas pela segunda vez, a atividade da fábrica foi inteiramente absorvida pela enorme demanda de seu utilitário de campanha (o Jeep), com tração nas quatro rodas, para fins militares. Cessada a guerra, a procura do veículo decresceu, mas ainda assim a Willys iniciou o desenvolvimento do projeto de um carro prático e robusto, de linhas modernas e avançadas ao mesmo tempo em que começou a produzir utilitários derivado do Jeep como a Willys Station Wagon (Rural no Brasil).
O protótipo foi apresentado em 1951 e já no ano seguinte era lançado a série Aero (janeiro de 1952, EUA), mas não teve um grande sucesso de vendas e seu ferramental em 1955 foi enviado para o Brasil.
Em 1963 a Ford compra Willys-Overland e muda o nome para Kaiser-Jeep Corporation, a partir do qual o nome Willys desapareceu.

Aero Willys 1952

A Willys Overland no Brasil

A Willys Overland abriu uma filial no Brasil, em 1952, que se tornou também uma importante personagem na nascente indústria automobilística brasileira e também no automobilismo. No Brasil começaram as atividades por volta de 1954 inicialmente montando Jeep, logo depois passou a importar a Rural e o Aero-Willys.
Na cidade muita gente queria um carro realmente econômico, prático e de pequeno custo para e a Willys lançou o Renault Dauphine (sob licença da Renault) em 1959. Em  Março de 1960 foi a vez de um carro maior, com espaço e conforto para seis pessoas – O Aero-Willys (inicialmente o Aero nacional era para se chamar “BRASÍLIA”) que foi produzido com o ferramental vindo de sua matriz nos Estados Unidos. Em 1961 veio a Pick-up Jeep 4×2 e o esportivo Interlagos e em 1966 o Itamaraty. Em 1965, o Aero Willys reestilizado foi lançado no edifício já erguido, mas não acabado da Bloch Editores por Mauro Salles a festa seria muito importante para a sua nova agência de publicidade. Bloch preparou o hall, que ainda estava em concreto. A porta era de tábuas, mas a decoração foi tão luxuosa que o lançamento foi um sucesso foi apresentado o Itamaraty Nesse ano a grande mudança ocorreu no Itamaraty que ganhou nova frente, novas calotas, novas lanternas traseiras, e novo acabamento. Em 67 também foi criado o Itamaraty Executivo (a primeira limousine brasileira de série), contava com vários opcionais – poucas unidades foram fabricadas.
A Willys fabricava seus veículos em sua unidade própria em São Bernardo do Campo (atual fábrica da Ford); em 1966 o Jeep (apelidado no Nordeste de “Chapéu de Couro”) passou a ser fabricado (montado) também em Jaboatão, Pernambuco, onde estava a primeira fábrica de automóveis do Nordeste, a Willys-Nordeste, que também fabricou a Rural e Pick-up Jeep. Em 1967 a Willys contava com 7 carros de passeio e utilitários em 19 versões, ela chegou a ter a maior linha de produtos da indústria automobilística Brasileira era  um veiculo para cada tarefa, para cada gosto. No Brasil também fabricou, sob licença da Renault, o Gordine e um esportivo batizado de “Interlagos”.

O gordine Um carro que marcou época

Aero Willys Itamaraty: O carro de quem tinha sucesso profissional

Em 1968 houve a união da Willys Overland do Brasil com a Ford Motors do Brasil que passou a chamar Ford-Willys, passando a fabricar seus veículos, até o último em 1984 (a pick-up F-75). A mecânica de um esportivo  o Willys 1300 serviria de base para o último grande projeto da Willys no Brasil o Corcel (“Projeto M” da Willys – Mecânica Renault) , os primeiros modelos saíram de fábrica inclusive com o símbolo WILLYS impresso nos vidros , lançado pela Ford-Willys como FORD CORCEL em 68, sobre esses nome temos uma história interessanteo publicitário Mauro Sales desde o inicio queria lançar o Corcel com o nome Ford Corcel, mas os diretores da Ford no Brasil disseram que para o carro se chamar Ford teria que ser aprovado pela matriz americana e que o projeto teria que ser defendido por Mauro Sales junto a matriz nos Estados Unidos e lá foi ele. Terminada a reunião e com oprojeto aprovado pelo próprio Henry Ford II ele quis saber o porque da necessidade do nome ser aprovado na matriz so porque iria se chamar Ford. Henry Ford o convidou para ir a parte externa da empresa e mostrou seu nome no topo do prédio dizendo “It’s my name” demonstrando ai que um produto deve ter qualidade pois é um nome que esta em jogo.
Em 1970 deixa de chamar Ford-Willys e passa simplesmente a se chamar Ford do Brasil. Aos poucos a Ford foi substituindo os veículos Willys, assim morrendo a marca no Brasil. A Willys também produzia motores maritímos, grupos geradores de solda, unidades de força, grupos geradores.  A marca existiu até 1975, quando o último veículo  Willys deixou a linha de montagem da montadora AMC, mesmo período em que a Ford do Brasil ainda produzia veículos originalmente criados pela subsidiária brasileira.
Em 1970 a Kaiser Industries decidiu deixar o negócio de automóveis e vendeu a Kaiser-Jeep a American Motors Corporation (AMC) que foi comprada em 1979 pela Renault que continuou produzindo série CJ (Civilian Jeep- Jeep para civis). Em 1987 a Chrysler compra AMC com o CJ sendo substituídos pelo Jeep Wrangler, os veículos Jeep ainda são produzidos no Complexo Toledo sob Chrysler LLC.

Ford Corcel veículo médio, derivado do “Projeto-M” da Willys