Romcy: A maior rede de lojas de departamento que o Ceará já teve

1 de julho de 2012

Por: Pedro Paulo Galindo Morales

As lojas de varejo Romcy S/A foram uma rede de lojas localizada em Fortaleza/CE com 12 lojas entre hipermercados e supermercados, 11 estavam localizadas em Fortaleza 1 em Maracanaú e uma central de compras em São Paulo, nessas lojas existiam ainda os Romcy-Car que eram especializados em acessórios e serviços  para veículos  alem de cinco lanchonetes em suas unidades que faziam muito sucesso e era ponto de encontro de muitas pessoas. O Grupo Romcy era formado ainda pela Romcy Informática LTDA e a Granjas Romcy S/A.

As atividades comercias dos  Romcy começaram em 1948 com a firma Jacob Elias & Filho onde vendiam miudezas que depois passou a ter varias filiais com nomes fantasias diferentes como, as lojas A Capital, Magazine Sucesso, Casa Venus,  Romcy Perfumaria, Romcy Magazine, e por fim a Super Loja Romcy.

Em 1962 com a morte de Jacob as lojas foram unificadas sobre a razão social de Romcy Comercio e Industria S/A e estavam sob a responsabilidade de seus filhos José e Antonio Roncy que partiram para unificar as atividades do grupo .

Em 1974 o Grupo Romcy comprou do comerciante Plácido de Carvalho um imóvel construído em forma de um castelo, que se localizava onde hoje fica a Praça Luiza Távora na Avenida Santos Dumont para a construção de um hipermercado após alguns anos seu terreno foi dado em pagamento de divida de ICM ao Governo do Estado, muitas pessoas atribuem a falência da empresa a demolição deste castelo, uma espécie de maldição.

Com a inauguração em 1975 do Romcy Aldeota uma loja com área de 14 mil m2 onde a empresa passa a investir também em supermercado, quase a mesma época em que passa a ser a 1ª loja de departamentos do Norte e Nordeste a funcionar com computador.

Na década de oitenta o Canguru (que segundo se comenta foi também usado pelo Varejão Supermercados da Família Patriolinio Ribeiro), símbolo das lojas Romcy, disputava a o mercado com as Americanas, Lojas Brasileiras e Mesbla de igual para igual.

O Romcy mantinha um cartão de crédito próprio e no fim do mês, com a inflação galopante, comprar no Romcy era praticamente impossível, pois esta loja operava também no ramo de supermercados e vendia tudo no cartão na época se dizia que quem não tinha um crediário no Romcy não tinha crédito na praça.

Em 1990 quando o Roncy pediu concordata ele mantinha 1.702 funcionários e proporcionava quase 3.000 empregos indiretos e na época era também  um dos maiores arrecadadores de impostos e um dos grandes empregadores do Estado do Ceará

A maior rede de lojas de departamento que o Ceará teve escolhia bem a sua localização tanto que todos os seus endereços estão devidamente ocupados  quase 20 anos depois. O Romcy Planalto virou Bompreço Papicu, o Romcy Aldeota (Antonio Sales) virou Hipermercantil e hoje é ocupado pelo Carrefour, o Romcy Montese é o Hipermercado Extra, o Romcy Monte Castelo abriga a matriz do Expresso Guanabara no Ceará, que a propósito, nunca teve o que reclamar da infra-estrutura das instalações (inclusive dotada de uma moderna estação de tratamento de esgoto), no Centro de Fortaleza, suas lojas estão todas ocupadas, as duas na Rua Barão do Rio Branco e a do Parque das Crianças onde hoje funciona no prédio que faz fundo também com a Praça Murilo Borges( praça do BNB) um Super Lagoa e uma Rabelo , o Romcy Benfica, cuja obra não foi concluída pela empresa, hoje é o bem sucedido Shopping Benfica. Tantos acertos não foram por acaso houve estudos muito bem feitos.

Na propaganda a empresa também inovou trazendo as propagandas com o Assis Santos quando anunciava as ofertas para o dia seguinte com o slogan “barato do dia Romcy” no intervalo do Jornal Nacional da Globo ou os anúncios de paginas inteiras nos jornais , ou com a promoção famosa, inédita e audaciosa “Romcy dá dinheiro vivo”, nos anos 70. Antonio Romcy analisou a conjuntura econômica do país e usou a inteligência para criar a campanha. O raciocínio de Antonio Romcy foi rápido e perspicaz: se era de se pagar 10% às financeiras, por que não estimular a compra a partir de seis prestações e dar esse percentual diretamente ao consumidor? Foi um sucesso.

Em Dezembro de 1990 o Romcy pede concordada preventiva motivada pelos problemas causados pelo Plano Collor como a inadimplência de seus clientes o que causou um desequilíbrio financeiro porem seu patrimônio era suficiente para cobrir suas dividas  e inicia a reestruturação de seus negócios com fechamento de algumas lojas, também foi noticiadas a venda da empresa para o Grupo Sendas do Rio de Janeiro e Lojas Tamakavy do Grupo Silvio Santos.

Em 1992 já consegue levantar a concordada e planeja a volta ao ramo de supermercados com a reinauguração da loja do Parque das Crianças o que não foi possível, porem o filho de Antonio Romcy inaugura o Supermercado Básico na Rua José Lourenço e no prédio do antigo Roncy do Parque do das crianças ocupando metade da área que o Romcy ocupava o novo empreendimento por questões de mercado não deu certo.

Por volta de 1993 à empresa com apenas uma loja em funcionamento tem a falência decretada deixando muita saudade, o seu patrimônio imobiliário foi usado para saldar dividas bancarias, trabalhistas e com fornecedores para ser ter uma idéia apenas a loja do Bairro Montese onde também funcionava a matriz do Grupo estava avaliada em US$ 10 milhões de dólares.

Sem duvida o as lojas Romcy deixaram um vazio no mercado cearense por sua importância que teve na vida social e econômica do estado.

Fonte: Jornal O Povo edição de 11/12/1990, pesquisa feita pela Internet e jornais da época.

Leia também: Lojas Paraíso a tentação não era só o preço

Leia também: As grandes lojas que não existem mais no comércio em Fortaleza