Eletroradiobraz: Uma historia de sucesso

1 de julho de 2012

Escrito por: Pedro Paulo Galindo Morales

A Eletroradiobraz nasceu nos anos 40, no Bairro do Brás, na Av. Rangel Pestana, próximo da estação ferroviária e da Confeitaria Colombo no Largo da Concordia na cidade de São Paulo.

Inicialmente ela surgiu como um ponto de consertos de rádios e outros pequenos eletrodomésticos, como ferro de passar, liquidificadores entre outros. O inicio do negócio foi dado pelo Sr. Ayme Taub e sua esposa Anita Taub os quais tinham um casal de filhos , Carlos Taub e Sarah Taub.

Com o passar do tempo o filho Carlos Taub procurou diversificar o negócio de seu pai dando inicio a venda de eletrodomésticos e em seguida confecções especialmente ternos e acessórios. A partir desta iniciativa começou haver um crescimento comercial e estrutural.

A loja de consertos deu lugar no mesmo endereço a um prédio de sete andares que passou a abrigar uma moderna loja tipo magazine (alguns a conheciam como loja vitrine) com vários departamentos interligados internamente por passarelas que facilitavam e criavam clima para desfile de modas e outros eventos.

Detalhe da primeira loja da Eletroradiobraz: observe as passarelas - Fonte Google imagens

No inicio dos anos 70, transfere a sua estrutura administrativa para o Largo Santa Cecilia um prédio anteriormente ocupado pelas Lojas Clipper, loja tradicional em São Paulo nos moldes dos atuais magazines.

A Eletroradiobraz S/A abriu seu capital no inicio dos anos 70 através do União de Bancos Brasileiros S.A. antigo Banco Moreira Sales S/A com as ações negociadas pela Bolsa de Valores de São Paulo, ate então o seu controle acionário era dividido entre Carlos Taub (75%) e Manoel Teperman (25%).

Um pouco antes dos anos 70 o ramo de supermercado já era uma realidade e crescia a necessidade de se atender a crescente demanda populacional pelo sistema de auto serviço e aos poucos a Eletroradiobraz também expandiu suas atividades para esse segmento chegando a ter oito lojas.

Em 1971 a Eletroradiobraz inaugurou o seu primeiro hipermercado com a denominação de “Baleia” no Bairro da Agua Branca em São Paulo, prédio anteriormente ocupado pela Eucatex, a definição de Hiper para aquela época era que se dizia que em um único ponto de venda se podia encontrar do alfinete ao avião. A empresa tanto para os supermercados e hipermercados contratava assessoria de executivos americanos aposentados com vasta experiência nesse segmento como, por exemplo, nos Estados Unidos entre outros países. O nome “Baleia” foi escolhido porque já existia o Jumbo ( antecessor do Extra) o primeiro hipermercado do Brasil que foi inaugurado em Santo André município de São Paulo também em 1971  pertencente ao Grupo Pão de Açúcar.

Nos anos 70 a Eletroradiobraz troca seu logotipo antigo por um mais moderno - Fonte Google imagens

A empresa sempre se destacou como uma grande patrocinadora de eventos, nos anos 50 e 60 a empresa patrocinou o programa “Circo do Arrelia” apresentado pelo palhaço Arrelia criador do refrão “Como vai, como vai, como vai ? ” na TV Record canal 7 de São Paulo por vários anos, o programa era um sucesso  e era assistido por crianças e adultos. Em 1973 surge o Programa Fantástico da Rede Globo e o primeiro patrocinador foi a Eletroradiobraz durante um bom tempo. Além dessas ações também patrocinava uma equipe de corridas da Divisão 3 de muito destaque na época , fazia anúncio de paginas inteira nos jornais e tinha como slogam a frase “A melhor oferta quem faz é a Eletroradiobraz”

Até meados de 1967 a estrutura administrativa da Eletroradiobraz era familiar. Com o crescimento dos negócios a empresa foi sendo profissionalizada com a contratação de executivos específicos para cada área da empresa porem sempre mantendo em sua estrutura funcionários que colaboraram para o crescimento empresarial da organização.

A Eletroradiobraz contava na época também com um grande depósito na via Anhanguera de onde que podia ser visto da rodovia de onde saiam seus Caminhões Chevrolet amarelo e azul para entregar as mercadorias vendidas nas lojas, à empresa matinha também para seus funcionários uma colônia de férias na Praia Grande, São Paulo.

Além do segmento de eletrodomésticos, moveis presentes, moda e confecção, supermercados e hipermercados o Grupo Eletroradiobraz também marcava presença no ramo de veículos com a Eletroradiobraz Veículos S/A concessionaria Chevrolet, Electra S/A Crédito, Financiamento e investimento , Ebrace Construções S/A, Elagro S/A Agropecuária e Equipe Distribuidora de Títulos e Valores S/A.

Na capa de 1976 a Revista Exame da destaque a Venda da Eletroradiobras para o Pão de Açúcar – fonte Google imagens

Em 1976, a Eletroradiobraz, enfrentava problemas de layout, na forma de operar, na política de preços, na linha de mercadorias e na concessão de crédito ficando a impressão que o Grupo foi vendido mais por questões administrativas do que por crise financeira como alguns chegam a afirmar, sendo assim o Grupo é adquirido pelo Grupo Pão de Açúcar, em 6 de Junho de 1976 com a ajuda do BNDE (Banco Nacional do Desenvolvimento Econômico) que veio a tranquilizar o mercado na época.

A estrutura da Eletroradiobraz aproximava-se a do Pão de Açúcar, porem com uma visão administrativa que não se aproximava da politica profissionalizante do Grupo Pão de Açúcar, ou seja, não possuía todos os objetivos e dinamica do Grupo que procurava agregar todos seus principais executivos em uma só “Caravela” como costumava dizer a seus executivos o Comendador Valentim dos Santos Diniz fundador do Pão de Açúcar, quando dizia que todos deveriam ir  rumo aos objetivos traçados.

Na época da aquisição a Eletroradiobraz era uma das maiores empresas do ramo varejista distribuídas em São Paulo, com oito lojas de supermercados, 26 hipermercados e 16 magazines, na capital e interior no total de 50 lojas.

Os supermercados da Eletroradiobraz passaram a serem conhecidos como Pão de Açúcar, os hipermercados como Jumbo Eletro – Jumbo era o nome dos hipermercados do Pão de Açúcar – e os magazines, simplesmente Eletro. Na época foi lançada uma campanha publicitária do casamento da Baleia, símbolo da Eletroradiobraz, e do Elefante, símbolo do Jumbo.

O Grupo praticamente dobrou seu número de lojas, e seu faturamento já que a Eletroradiobraz tinha um faturamento maior que o do Pão de Açúcar. A divisão de veículos foi transformada na Pão de Açúcar Veículos Ltda. e as demais empresa incorporadas ao Grupo .

A marca Eletro (como era chamada também pelos seus funcionários antes da compra pelo Pão de Açúcar) sempre esteve presente em São Paulo, de 16 magazines existentes na época da venda para o Grupo Pão de Açúcar a rede se transformou em uma cadeia de 45 lojas em 2010. Em 2002 a rede muda novamente de nome e agrega a força do nome Extra, passa a operar sob a bandeira Extra Eletro com lojas especializadas em produtos eletrônicos e eletrodomésticos, as lojas também comercializam móveis e itens de bazar.

Como podemos perceber a força do nome Eletro permanece durante muitos anos, porem em Agosto de 2010 o Conselho Administrativo de Defesa Econômica (Cade) autorizou o Grupo Pão de Açúcar a alterar a bandeira das 45 lojas Extra Eletro para as marcas Ponto Frio ou Casas Bahia terminando assim uma historia de uma marca de quase 60 anos de sucesso.

Dois momentos das lojas da rede Eletro e Extra Eletro – fonte Google imagens